Quem é você, Alasca? - John Green, por Trinta.

By | segunda-feira, janeiro 16, 2012 Leave a Comment





Você já foi chamado de irresponsável? Sem sombra de dúvidas é uma das críticas mais árduas de se ouvir. Eu, por exemplo, nunca me acostumei com a idéia de engolir essa palavra. Essa palavra chega a sua vida sorrateiramente, por volta dos treze anos, obrigando os pais a cobrarem o seu domínio sobre nós como se ela fosse uma espécie de terceiro tutor; invisível e onipresente. Ah... A responsabilidade sabe como puxar nossas rédeas. Assim que o auge da juventude abre as portas para um novo mundo, a sociedade se encarrega de tracejar linhas por todo o seu terreno, seguindo as regras da dita cuja. Já tão perto dos meus vinte anos, começo a me perguntar se eu soube ser jovem direito, quando metade da última década eu passei dominado pela insegurança de não ser auto suficiente. Tenho um medo aterrador de ter arriscado de menos quando poderia ter arriscado demais. Isso é o conceito de ser jovem. E independente de o quão maduro você já é, o Grande Talvez do destino está bem aí para relevar os nossos erros. Queria eu ter lido Looking for Alaska aos treze anos... É o livro de aceitar nossas próprias escolhas.

Não julgue o pela sinopse. Sim, Quem é você, Alasca? contém adolescentes entre seus personagens principais, mas não exatamente é voltado para adolescentes, se apoiando em uma narrativa que quebra todo o clichê superficial e açucarado desse nicho literário. O responsável por essa proeza se chama John Green, que nos traz uma juventude muito mais opaca e descolorida, com jovens fumando, bebendo, transando e errando como qualquer pessoa na flor da idade. Quem nunca foi, quis ser ou se apaixonou por uma Alasca? Talvez seja melhor eu tentar responder a pergunta-título apresentando a trama central.

Miles Hatcher é um adolescente um tanto fora-do-comum. Ele tem uma... Digamos, fissura por colecionar últimas palavras de pessoas famosas e tenta, sendo este ideal de vida baseado no que o poeta François Rebelais disse à beira da morte, procurar pelo Grande Talvez. Impulsionado por essa prorrogativa, ele decide abandonar o colégio antigo e os pais superprotetores para se mudar para a instituição de ensino Culver Creek, um internato com o grande mar de possibilidades que tanto deseja – As coisas que poderiam acontecer, as pessoas que poderia encontrar e os sonhos que poderiam se realizar. Talvez isso seja melhor representado quando conheceu Coronel, seu novo colega de quarto cheio de planos mirabolantes. Ou Talvez a disciplina Religião, tão odiada pelos alunos, tenha sido uma das coisas a acrescentar nesse novo momento em sua vida. Mas não. Foi Alasca Young, a espirituosa, problemática, faceira, inteligente e rebelde garota da casa ao lado (ou do dormitório feminino) que trouxe à vida de Miles a noção do impacto que uma pessoa pode ter na vida de outra. Quando conheceu Alasca... Miles percebeu que existia um Antes e Depois.

O forte da narrativa de John Green é a sua capacidade de humanizar seus personagens, em uma escrita rápida e sarcástica, sem soar infame e barata. E acredite, ele ultrapassa limites para mostrar isso. Às vezes você acha que ninguém presta naquele lugar, e isso pode dar muita raiva, mas de repente você percebe... Bem, ninguém realmente presta no nosso convívio. Todo mundo pode ser inteligente e genial e, ao mesmo tempo, nojento e mesquinho. Talvez por sua experiência como crítico literário e comentarista de programas de rádios sobre literatura, John Green tenha ganhado uma exímia habilidade de analisar os podres da juventude atual. Quem é você, Alasca? é um dos poucos livros vendidos como literatura juvenil (erroneamente) que apresente uma visão catastrófica de ser jovem. Esta é uma das minhas obras literárias preferidas, a qual me ensinou a conhecer e reconhecer exatamente o que eu quero. Encontrar Alasca foi tão gratificante que eu não sei como desvinculá-la do meu próprio dia-a-dia quando chego aquela pergunta intrigante: Como sairei deste labirinto?

“Imagining the future is a kind of nostalgia. (...) You spend your whole life stuck in the labyrinth, thinking about how you'll escape it one day, and how awesome it will be, and imagining that future keeps you going, but you never do it. You just use the future to escape the present.” 
                                                                                                                                                                   ― John GreenLooking for Alaska


Curiosidades: John Green também é muito conhecido por seus vlogs no Youtube. Confira o canal 
Vlogbrothers , no qual John e seu irmão Hank falam sobre as mais variadas coisas: Livros, filmes, até  banalidades da vida, em comentários recheados de referências nerd e da cultura pop.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: