#Tag - Respondemos 11 Perguntas

By | segunda-feira, agosto 27, 2012 Leave a Comment
Olá meu povo, tudo em cima?

Hoje a gente teve a honra de responder a uma tag super bacana chamada 11 perguntas! O convite veio da equipe do Introducing You a Book.

Antes vamos às regras para quem quiser participar da tag: 

  • Criar um post e responder as perguntas de quem te passou a tag;
  • Criar onze perguntas diferentes e repassar;
  • Escolher onze blogs e colocar o link no post;
  • Avisar os blogs selecionados.

Curioso pelas nossas respostas? Então vamos  logo para as perguntas feitas pelas meninas:

Qual personagem literário tu gostaria de dar vida?

Trinta:  Sabe aquele filme There's Something About Mary? A expressão em português sintetiza, mais ou menos, a ideia de existir algo de especial em uma certa pessoa; um brilho diferente, que no caso da tal Mary, encanta todo mundo que passa. Assim como esta personagem, Alaska Young do meu xodozinho Quem é você, Alaska? me deixou com esta sensação mágica de alguém único, com uma sabedoria de vida que ultrapassa a inteligência dos livros. Aquela esperteza serelepe de quem sabe lidar com a vida. Sério, ela é impulsiva, louca, intensa, uma vadia assumida que, misteriosamente, parece ter sempre o melhor ombro amigo - e os melhores conselhos. Então se ela existisse, pelo menos um dia, só pra ouvir tudo que eu tenho a dizer e me fazer mudar, como em um reality show de makeovers... Nossa, eu acho que seria um sonho. Eu adoro que a Alaska sempre significou mudança. E eu acho que não há nada mais legal em um personagem do que ele simplesmente transformar você.

Patrícia: Pensando rápido, e em termos de utilidade pública, eu daria vida ao Mr. Poirot. O mundo se beneficiaria de alguém para solucionar crimes sem deixar margem pra dúvidas, certo? Ninguém ia cometer crimes com um Poirot pra descobrir o culpado.
Veja bem, eu poderia facilmente escolher o Sherlock Holmes, mas é pouco provável que ele viesse pra cá. Já o Mr. Poirot é igualmente brilhante (cada um de uma forma peculiar) e curte uma viagem.



Se tu tivesse que salvar somente um livro seu, qual seria (vale a saga completa, se for o caso)?


Trinta: Meus livros do Harry Potter. Eu já fiquei extremamente chateado porque perdi o primeiro quando o emprestei pra uma amiga (É sempre assim que a gente perde, né? /: ), mas, felizmente, ainda tenho os outros. O motivo de todo esse amor, além do óbvio de eu amar a saga, é que do segundo até o quinto, os livros tem dedicatórias da minha mãe e isso é muito especial pra mim. Ela adorava livros e lia Harry Potter comigo. É uma daquelas pequenas coisinhas que sempre fará parte de mim.

Patrícia: Provavelmente eu pegaria todos meus livros do Harry Potter, meu O guia do mochileiro das galáxias e meu livro da Molly Moon e tentaria convencer você que todos eles formam uma saga completa (Pois é.)


Tu já se apaixonou por algum personagem? Se sim, qual?

Trinta: Deus, Deus, Deus. Admito que eu posso ser um bookwhore. HAHAHAHA. Mas vamos lá. Meu primeiro grande amor de livro foi o Jesse da série A Mediadora. Eu adorava o fato dele ser um fantasma latino e ter uma aura misteriosa, tipo lobo solitário/o garoto da casa ao lado. Mas recentemente eu adorei o Lawrence Trainer de O Mundo Pós-Aniversário, por ele ter tudo que eu gosto num cara, principalmente pensando em maturidade e futuro. (Coisas ruins à parte.). Levando para um lado mais metafórico de se apaixonar... Eu AMO a  Katniss de Jogos Vorazes, e acho que isso não deixa de ser uma paixonite. Menção Honrosa: Heathcliff - O Morro dos Ventos Uivantes. 

Patrícia: Não apaixonar, mas encontrar identificação de forma desesperadora. Jude Fawley e Sue Bridehead, em Judas O Obscuro (Jude the Obscure - Thomas Hardy). Eu li quando eu tinha 19 e eu estou aqui, pronta para aceitar o fato de que nenhum livro jamais irá superar o nível que a minha alma se reconhece nesse livro. Nunca vai acontecer.

Qual o livro mais marcante que já leu?

 Trinta: Precisamos Falar Sobre o Kevin. Ele me fez engolir um bando de verdades daquelas bem cachorras, independente de eu querer ou não. E mesmo sendo um livro forte, eu o devorei como se tivesse menos de 100 páginas. Eu não sei explicar o que aconteceu quando eu li, só sei que... Eu acho que eu tive uma fase durante todo o processo de leitura dele... Tipo quando você se vicia em um joguinho de facebook ou em uma roupa nova que você comprou. A diferença é que ele não foi efêmero e ainda há pedaços desse ~sentimento~ que senti até hoje em mim. 

Patrícia: Eu não poderia responder outra coisa além dos livros do Harry Potter. Minha vida dos 11 aos 17 anos aconteceu paralelamente com a leitura desses livros e eles me moldaram como pessoa em muitos aspectos, conheci amigos por causa deles e eles foram a maior diversão da minha pré adolescência/adolescência *nerd*. Eu tenho 21 anos agora e eu nunca olhei pra trás e pensei que eu superestimei Harry Potter, eu nunca tive aquele momento que você percebe (como acontece com a maioria das coisas que você gostava quando era adolescente) que eles "não eram tão bons assim". Eles eram. Eles eram mesmo, e eles são. Eu acho que nunca vou ter outra resposta, crescer com um livro que você realmente ama e vai amar pra sempre só acontece uma vez na vida (se você tiver sorte).


Qual a maior loucura que tu fez por um livro? (seja ficar em fila de lançamento, seja gastar toda a mesada...)

 Trinta: Eu tinha uma verdadeira MÁFIA para roubar a coleção Meu Primeiro Amor da biblioteca do colégio. Alugava e não devolvia (E era a coleção MAIS PEDIDA da minha escola. -Q). Sério, até hoje tenho dois livros dela na minha estante. O livro é o cúmulo do bocó, mas admito que eu me sindo muito badass hoje por isso, HAHAHA!

Patrícia: Eu já fiz os dois exemplos citados na pergunta e eu já fiz um bando de coisas complexas pra conseguir livros, tipo emprestar paypal de amigos pra poder comprar livros no exterior (eu pago certinho o dinheiro na conta deles com deposito bancário. Mas, AINDA SIM, um beijo Tamie) e já cheguei atrasada em ônibus de excursão de escola pra Bienal do livro porque demorei na stand da Rocco e levei advertência. E, nossa, essa vai ser a minha maior resposta de longe:  basicamente todo mundo acha que quem lê muito tem a cabeça nas nuvens (talvez tenha mesmo) então simplesmente admitir que você lê demais já é meio loucura. 


Qual livro que tu teria vergonha de ler em público (exemplo: no ônibus)?

Trinta: Como influenciar pessoas. Sim, eu tive uma fase auto-ajuda. Ah, e daqui há alguns meses, 50 tons de cinza. Por isso estou aproveitando pra acabar de lê-lo enquanto o boom ainda não ficou negativo. HAHAHAHAHA.

Patrícia: Se eu teria vergonha de ler em público, eu provavelmente teria vergonha de ler sozinha, porque eu sou a maior (e o Trinta bem sabe) zoadora de livro vergonhoso. Então eu quase nunca leio nada que me faria ter vergonha em público, simplesmente porque eu teria vergonha da minha própria zoação mental, que é inevitável (exemplo: a cada página virada eu ia soltar mentalmente um "não acredito que você tá lendo isso, Patrícia”. Até o fim do livro. Não é fácil pra ninguém, nem pra mim).

Qual o livro que está na sua wishlist há mais tempo?

Trinta: A Irmandade das Calças Viajantes. Eu quero ler esse livro desde os 15 anos, gente. Eu acho que a pessoa que me der ele um dia, pode me dar o anel de casamento como brinde.

Patrícia: Hons and Rebels da Jessica Mitford. Eu adoro biografias, eu sinto que eu vou adorar profundamente esse livro, mas é impossível encontrar ele casualmente dando sopa por aí. Seria muito improvável. O único jeito é encomendar ele do exterior e por isso ele está mofando na lista de espera há um tempo considerável (muito mais do que eu gostaria). O mesmo vale para Dirk Gently's holistic detective agency e The Meaning of Liff, ambos do Douglas Adams.


Que tema literário tu não suporta mais? 


Trinta: 
Traduzindo. "Livros de vampiros; ou a seção conhecida antigamente como livros para jovens."

Patrícia: Eu penso que o tema literário pouco tem importância se o livro for bom. Por mais saturado que o tema seja, uma boa história é sempre bem vinda. ( : D)
Mas eu acredito que alguns temas estão saturados de livros que não são realmente bons,
livros que só foram publicados por editoras por se parecerem, genericamente, com livros que fizeram sucesso. Nessa categoria eu acrescentaria, hoje, muitos livros de autoajuda, livros de vampiros/lobisomem/criatura mística adolescente. E eu tenho a impressão que futuramente irei acrescentar "literatura de banca" nessa essa categoria (porns românticos, o Trinta vai me bater). 


De qual autor tu compraria um livro sem ler a sinopse?


Trinta: Lionel Shriver, John Green, J.K Rowling (e Meg Cabot).
Patrícia: J.K.Rowling, Douglas Adams, Rainer Maria Rilke, Agatha Christie, Georgia Byng e da Nigella Lawson (ha).

Como cresceu a sua vontade pela leitura?

Trinta: Minha mãe, minha mãe, minha mãe, minha mãe. Ah, minha mãe. Eu nunca teri virado o que eu sou hoje sem o seu constante incentivo. Todas as feiras de livros, os passeios nas livrarias, os papos sobre literatura nacional, as peças teatrais infantis de adaptações de livros, a mágica que ela fazia com a história do Mistério da Feiurinha, a dedicação dela ler os mesmos livros que eu... Minha mãe sabia ensinar alguém a gostar de ler. E pensando bem agora... Acho que ela nunca fez muita força pra isso. Era uma mulher puramente apaixonada por isto.

Patrícia: Provavelmente começou lá pelos 5, com os livros que minha mãe comprava e conseguia pra mim (ela é professora e ela sempre recebia alguns livros de editoras como amostras) em maioria histórias de bichos e animais e detetives (e animais detetives, vide o livro do Zero-Zero-Au, que foi o primeiro livro que eu li com ajuda da minha mãe), muita Eva Furnari e muito Thomas Brezina (Turma dos Tigres, alguém? Eles vinham com decodificadores!!) e mais tarde com os livros do Harry Potter, que foram mesmo a gota d'agua pra piscina do desespero literário transbordar. Depois veio Molly Moon e o incrível livro de hipnotismo, e eu sempre via filmes e queria ler os livros dos filmes. Não eramos ricos, é só que em casa, cultura (filmes, livros, revista, etc) sempre ganhava preferência no lugar de roupas e brinquedos. Pode ser que eu já nasci pra gostar de livros, mas eu acho mesmo é que veio daí. Na verdade, eu tenho certeza.


Qual personagem tu convidaria pra te visitar na tua casa?

Trinta: Eu gostaria mais de receber uma visita de um autor. Meu sonho é sentar numa mesa com a Meg e a Lionel para debater loucamente. (Apesar que isso não daria muito certo. Enquanto a primeira deve ser uma matraca doida, a outra deve ser contida e resoluta.) Mas ok, um personagem? Escolho a Rita Skeeter, porque eu acho que eu iria morrer de rir com a forma que ela contorce as pessoas e cria seus própios "escândalos" ã la E! Entertainment. 

Patrícia: Eu definitivamente convidaria os Weasley (com exceção talvez do Percy - vocês compreendem). Eles são minha família preferida de livros e eles não iriam ligar a mínima que a minha casa é um ovo, porque morar num ovo é a especialidade deles. O sr. Weasley não ia ligar que minha cozinha é absurdamente feia porque ele ia ter muitos aparelhos trouxas pra se entreter. É, definitivamente os Weasley.

Espero que tenham gostado!
O sentimento de se sentir famoso. Só que não.
Nós também fizemos nossas perguntas:
  • Como é sua estante de livros? Você organiza ela por gosto pessoal, nome do autor, por título, gênero, por cores?
  • Qual o lugar que você mais gosta de ler? 
  • Se você pudesse fuçar a bolsa/mochila de um dos seus autores preferidos, baseado no que você conhece sobre ela/ele, o que você acha que você ia encontrar?
  • Se você tivesse que criar uma capa pra um dos seus livros preferidos, como ela seria? Descreva ela pra gente.
  •  Você já mudou de idéia quanto a um livro (positivamente ou negativamente) depois de ver o filme?
  • Se você pudesse escrever um livro, sobre o que ele seria?
  • Você já encontrou algum livro de uma forma estranha/aleatória/bizarra? Se sim, qual e como?
  • Você já influenciou alguém a gostar de ler? Se sim, como foi essa experiência?
  • Qual livro você faria o seu filho ler? Qual livro você não gostaria que ele lesse? 
  • Na sua opinião, qual é o livro mais subestimado pelas pessoas?
  • Qual foi um dos melhores começos de livros que você já leu?

E elas irão para esses blogs:

Por favor, respondam nossas perguntas =D vamos adorar ler as respostas de vocês! (E mesmo se você não tiver blog ou não tenha sido taggeado, você pode responder a nossa tag nos comentários ou no seu próprio blog, e nos mandar o endereço.)
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: