Combo: Percy Jackson e o Ladrão de Raios + Percy Jackson e o Mar de Monstros - Rick Riordan, por Julio.

By | quinta-feira, fevereiro 07, 2013 Leave a Comment
Fonte: tudo sobre livros e mais.
Fonte: tudo sobre livros e mais.

Gente, definitivamente não há nada no mundo que eu ame mais que História - que, inclusive, é o curso que escolhi pra faculdade. E, dentro de História, nada me fascina mais do que a Mitologia Grega. As histórias dos heróis, monstros e Deuses que caminham pela terra simplesmente me deixam de boca aberta, ainda mais quando penso que essas histórias eram consideradas realidade e todas tinham cunho religioso (inclusive, para algumas pessoas, como eu, essas histórias têm cunho religioso até hoje). Baseado em toda essa paixão pela mitologia, eu li então os livros de Rick Riordan, O Ladrão de Raios e O Mar de Monstros, que fazem parte da saga Percy Jackson e os Olimpianos. Imagine o seguinte: você é uma pessoa normal vivendo a sua vida. Então, um belo dia, descobre que os Antigos Deuses da Grécia estão vivos, e caminham entre nós - batalhando e governando o Universo. Assim, do nada! O que isso iria mudar na sua vida? Qual seria a sua nova concepção da Criação? A sua fé mudaria? Pior que isso: você descobre que é filho de um dos Deuses mais famosos e poderosos de toda a Mitologia e que necessita de um treinamento especial. O que você faria? 

Fonte:crazyingicons
Começamos pelo Ladrão de Raios, onde somos apresentados a Percy Jackson por ele mesmo. Percy é um garoto como qualquer outro em Nova York - com problemas de socialização, familiares e todos os dramas que cabem aos olhos de um menino de 12 anos. Ele leva um choque no dia que, do nada, as coisas viram de cabeça para baixo. Percy descobre que é um semi-deus, seu melhor amigo é meio bode (um sátiro em New York, isso poderia virar musical, sério!) e ele tem que fugir de um minotauro! Tudo termina com o menino acordando em um acampamento no meio de Long Island - um acampamento para semi-deuses(o Acampamento Meio-Sangue). Em meio a esse turbilhão de informações, Percy se vê como um ser lendário - um semi-Deus, filho de um Deus com um humano. 

O garoto descobre que os Deuses gregos estão vivos e são de carne e osso! Eles andam de jeans e camiseta, como qualquer um de nós, vivendo as suas vidas imortais em meio ao caos dos tempos contemporâneos. Por mais que a fé se modificasse, os Deuses se adaptaram aos Séculos e inclusive mudaram a sua moradia sagrada (que antes era o Monto Olimpo, na Grécia). 

Percy vê ainda que uma batalha entre os Deuses está se formando - e que ele, por algum motivo, está metido nisso tudo! Zeus, o Rei dos Deuses, teve a sua arma mais poderosa, o seu raio, roubado; e todos acreditam que o culpado do roubo é o próprio Percy! É dado um prazo de 10 dias para que o raio seja devolvido - então, junto de Grover (o sátiro) e Annabeth (ela é muito legal), o garoto sai em uma aventura pelos Estados Unidos a fim de resolver isso e procurar uma solução para o caso.

Já em O Mar de Monstros, o Acampamento Meio-Sangue sofre grande perigo e uma missão em busca de um artefato sagrado é feita, onde um navio com uma equipe tem que ir para o Mar de Monstros - mar encontrado no Triângulo das Bermudas (aham, lá mesmo) onde várias das localizações mitológicas se encontram. Percy e seus amigos saem em busca do Velocino também, mas ilegalmente, além de que, eles tem seus próprios motivos para irem até o Mar de Monstros. Mais uma vez, a aventura se desenrola em meio às ondas e desafios de enfrentar toda uma mitologia de uma vez, tentando sobreviver e alcançar seus objetivos. 

Mas, Julio, o que você acha de Percy Jackson? Honestamente, gafanhotos? Eu classifico os livros que eu leio assim:
  1. Aqueles que mudam a minha vida.
  2. Aqueles que ficam em minha memória.
  3. Aqueles que não acrescentam nada além de um número na estante do skoob. < Aqui está P.J.
Eu li Percy Jackson por puro gosto pela mitologia. Isso acabou me frustrando um pouco: por que alguns aspectos da mitologia estão, realmente, bem (BEM!) errados. Isso é ruim? Não. Vivemos em uma sociedade onde a mitologia é tratada de forma fictícia e errônea (é só assistir "Imortais" pra entender do que estou falando) em todas as mídias - ninguém mais vê que Apolo era o Deus que representava o Sol, ou que Cronos era o próprio Tempo. Mas, o fato é que, quando algumas pessoas que não tem instrução sobre as histórias antigas leem Percy Jackson, eles tem uma introdução da mitologia - assim, caso desejem, começam a pesquisar a fundo (vários historiadores podem surgir apenas por ler Percy Jackson).

De fato, a história é boa, bem montada e tem que ter certa inteligência para adaptar toda uma mitologia em tempos modernos e, pior, cenários modernos. Mais inteligência ainda pra tornar Deuses mitológicos em personagens completamente humanos - eu, quando li, não vi alguma centelha que desse aos personagens alguma característica divina, além de sua Imortalidade e seus poderes.

O livro tem a característica de que as suas descrições são simples e concisas, nada cansativo - de fato, a falta de detalhes pode tanto ser algo positivo, quanto negativo. Realmente acho que faltaram explicações mitológicas e, principalmente, trabalhar na visão do personagem Percy com toda essa mudança que ele sofre. Gente, você começar a conviver com antigas divindades de um dia pra outro não mudaria a sua concepção de fé, religião? A minha seria completamente abalada. - Claro, essa falta de detalhes mais preciso faz jus ao fato de ser um livro destinado para um público mais jovem.

Mas, claro, são opiniões minhas. Ainda recomendo o livro, e pretendo sim continuar lendo a saga, só não é algo que vai ficar na minha memória, ou que vai mudar o meu conceito de literatura.


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: