O Inverno das Rosas - Laísa Couto, por Julio.

By | quinta-feira, abril 04, 2013 Leave a Comment
fonte
Ok. Devo admitir uma coisa: eu raramente leio contos. Porquê? Não sei. Mas acho que é por que sempre imagino algo a mais na história curta apresentada. Isso não importa, porém. Acabo de ler "O Inverno das Rosas", uma adaptação do conto da Bela Adormecida pela minha parceira de site (é isso, produção?) Laisa Couto! Vamos adentrar nesse reino mágico, deslumbrante e incrivelmente cheio (eu falo CHEIO) de surpresas da época em que as rosas presenciaram o seu mais duro inverno. Venham comigo! (Peguei essa mania chata ultimamente. Não, eu não assisto Pânico).




A história d'A Bela Adormecida é clássica: jovem princesa é amaldiçoada e dorme para sempre, até encontrar o seu amor e o terno beijo lhe fazer retornar ao mundo desperto. Básico. O que a Laisa fez foi algo incrível: incrementar a história com misticismo, uma narrativa APAIXONANTE e um enredo surpreendente, sombrio. É. Sem mais. 

O roteiro dessa vez é diferente, a Rainha era infértil - coisa que nunca é legal para um reinado. Houve, um dia, uma profecia. Nela dizia-se que a rainha teria que convidar 13 bruxas para um banquete na lua nova, e assim foi feito. Porem, apenas 12 bruxas foram convidadas - e cada uma delas abençoou uma rosa para a rainha - que tornou-se fértil e acabou por engravidar. A 13ª bruxa, porém, irritada por não sido convidada, lançou a maldição sobre o bebê que estaria por nascer - no dia do seu aniversário de quinze anos, uma roca perfurará seu dedo e ela cairá em um sono profundo. Tudo muito comum, bem clássico de quem conhece a história base, né? Mas é aí que as coisas mudam - por que Rosa (a adormecida da vez), depois de mergulhar em seu alento, descobre uma coisa: os sonhos são portais para outro mundo. Entramos em uma viagem-astral, isso mesmo, a princesa desloca a sua alma para fora de seu invólucro carnal e pode passear pelo limiar espiritual/material. 

É aí que a história realmente começa: pois algum Mistério se apresenta a Rosa. Ela tem a chance de acordar, mas para isso precisará cumprir três missões que a fazem penetrar no canto mais escuro da alma, adentrar nos diversos mundos esotéricos e, por fim, fazer o mais difícil dos atos. Ela viaja por mundos sombrios e tenebrosos, vendo o sofrimento das mais diversas almas - caminha pelo limiar dos sentimentos negativos e positivos, saboreando o amargo e o doce da própria existência para poder livrar-se da maldição. Não, nada de esperar ser salva - ela precisa agir por si mesma, afinal, é uma princesa.

Eu jamais vou cansar de repetir o quão genial a história ficou - digna de filme, sério. A narrativa é de fácil absorção, que nos faz literalmente viver a história. O enredo é apaixonante, mas os diálogos, ah... esses são o maior deleite da leitura - falas que inspirariam povos inteiros e frases que ficam tanto na cabeça quanto aquelas que lemos em O Pequeno Príncipe. 

O conto está disponível pela amazon, kobo, saraiva e google, podendo ser comprado pelas diversas mídias (eu comprei ele do celular), e vale muito a pena! É uma leitura linda e simples, que nos faz pensar no quão complexa a simplicidade de cada história é, e que, acima de tudo, todo sonho é uma viagem.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: