Encontro com Natinho: Vinicius S. Rocha

By | quarta-feira, julho 22, 2015 Leave a Comment
Autor nacional estreia romance polêmico na Bienal do Rio. Confira a entrevista

Bom dia, amadinhos!

Cá estamos nós novamente para mais um Encontro com Natinho. Para quem não se lembra desse quadro (como assim “não se lembra”?! Clique aqui para ler o primeiro!), o Encontro é o espaço que eu, colunista que vos fala, dedico para ~bater um papinho~ e, aproveitando o ensejo, divulgar um(a) autor(a) nacional que esteja por aí, perdido(a) nas sombras dos sites de publicação independente, especialmente o Wattpad, que é o que eu mais frequento.

No Encontro de hoje, trago um escritor que conheci por acaso no Wattpad: Vinicius de Santana Rocha, autor de A Pílula, romance que será lançado dentro em breve pelo selo Métrica, da editora Tribo das Letras; já falaremos sobre isso. Antes, deixa eu te inteirar do assunto.

Capa impressa do livro.
A Pílula conta uma história que certamente já deve ter passado pela cabeça de muita gente por aí: e se
fosse possível reverter a homossexualidade ao tomar uma pílula? Não apenas uma questão científica e social, mas também uma existencial muito grande atravessa essa premissa. A sexualidade é parte constitutiva importante da psique, da identidade humana... E se fosse possível mudá-la simplesmente tomando uma pílula? Você tomaria, se fosse/sendo homossexual?

Essa é a grande indagação que fundamenta A Pílula. Cássio, um dos protagonistas, está começando a descobrir sua sexualidade e ainda parece desconfortável com ela. Seu namorado, Marcus, porém, entende-se e se aceita muito bem enquanto gay. O namoro vai indo muito bem, apesar daquelas briguinhas que todo mundo sabe como são, até que Cássio descobre a tal pílula reversora e se interessa pelo assunto, o que gera uma tremenda discussão entre os dois rapazes apaixonados, já que Cássio abandonar sua homossexualidade significa deixar de sentir por Marcus, seu namorado.

E agora?

Já sentiram que o clima é tenso, né? Pois é. Isso é só o começo. Para falar mais sobre A Pílula e seus outros projetos literários, trago-lhes o querido amigo e autor Vinicius Rocha!

Natan: Como vai você?
Vinicius: Vou bem. Tá tudo muito corrido, mas tá dando pra administrar o tempo.

N: Já já falamos dessa correria, pela qual eu imagino os motivos. Vamos à Pílula. Quando e como surgiu a ideia?
V: Surgiu em uma conversa que tive no início de 2008 com um ex-namorado. Ele perguntou pra mim: “Se você pudesse deixar de ser gay tomando uma pílula, você tomaria?”. Na época eu tinha 21 anos e não tive dúvidas no “Não”. E ele me falou que achava que tomaria. Mais de um ano depois me veio à mente uma ideia de um casal que se reencontrava depois que um deixou de ser gay por ter tomado a tal pílula que meu ex citou. Corri para o computador e criei Cássio e Marcus. E depois disso a história toda foi surgindo naturalmente.

N: Como o público reagiu a essa questão de um personagem ser “ex-gay”? Todo mundo entendeu ou houve controvérsias?
V: Inicialmente eu fiquei com medo de haver controvérsias e ser mal interpretado como se eu estivesse fazendo propaganda pró-cura gay. Depois eu desencanei desse medo e comecei a publicar o livro no Wattpad e me preparei pra alguma eventual pedrada. Porém ainda não veio. A recepção em geral foi boa e o tema principal sobre ter um personagem ex-gay não gerou controvérsia ainda.

N: Certo. E agora a historia saiu do Wattpad e está ganhando uma versão física. Como foi isso?
V: Foi meio de repente. Um dia vi um post num grupo do Wattpad com a minha editora Cristiane Spezzaferro perguntando quem tinha interesse em publicar na Bienal, que a editora Tribo das Letras iria publicar autores iniciantes lá. Eu não tinha nada a perder e sem expectativa postei o link do livro no grupo. Alguns dias depois recebi a proposta da editora, aceitei e o resto é história :)

N: E o lançamento oficial vai ser um ~grande evento~, estou sabendo.
V: Sim. Estamos na luta pra divulgar e levar o máximo de pessoas possível pra Bienal. Estou muito ansioso e morrendo de medo ao mesmo tempo, fico me perguntando como vai ser durante as duas horas que eu ficar assinando exemplares pra quem tiver interesse em comprar A Pílula.

N: Tsc, ah! Você vai tirar de letra! Já sabemos onde te encontrar lá?
V: Estarei lá no dia 7 de setembro, das 15h às 17h no stand da editora Tribo das Letras, no Pavilhão Verde P20.

N: Muito bom! Fica a dica, então, pra quem for do Rio. Mas você não está de férias literárias, né? Temos outra obra sua sendo publicada no Wattpad: Os Provocadores. Conte-nos sobre.
V: Neste momento precisei dar um pausa na escrita de Os Provocadores para dar uma atenção maior pra revisão de A Pílula. Porém o livro conta a história de Dimitri Zenotti, que é sequestrado por quatro homens, entre eles Michel, e enquanto os dois rapazes ficam sozinhos no cativeiro surge uma atração mútua entre eles. Enquanto Michel está encantado por Dimitri e o admira, este quer se aproveitar desse sentimento e tenta usar o rapaz para fugir do cativeiro. Os Provocadores se passa no mesmo universo de A Pílula e uma história se desenvolve paralelamente à outra, então há uns crossovers entre os livros, que é algo que eu gosto muito e por isso decidi fazer em minhas histórias também.

N: Você categorizou Os Provocadores como um “thriller gay”, não um “romance gay” e, pela resposta acima, deu pra entender o porquê. Você acha que existe uma expectativa errada por parte dos leitores sempre que eles leem “romance gay” no título de uma história?
V: Claro. Durante A Pílula o que muitos mais esperavam era saber sobre o casal, saber se eles ficam juntos mesmo quando o momento do livro não focava em Cássio e Marcus como casal e havia muitos outros questionamentos além da simplificação dos dois protagonistas em um casal. Queria que os dois fossem vistos como indivíduos, além do casal.  Eu sempre quis enfatizar a distância e a separação que eles colocaram entre si ao longo do tempo. Principalmente mostrar a distância que havia entre eles. É por isso que na capa do livro impresso temos os dois rapazes de costas um pro outro ao invés de mostrar dois caras juntos ou de mãos dadas.

N: Entendo bem... E o que podemos esperar do futuro? Você é daqueles que está sempre escrevendo algo ou pretende dar uma pausa depois de A Pílula e Os Provocadores?
V: Acho que não consigo parar... Posso diminuir o ritmo e focar na divulgação de A Pílula ou na revisão de Os Provocadores, que pretendo lançar também (beijos pras minhas editoras). Mas já tenho outros três livros em mente que quero colocar no papel ainda.

N: Eita! Algo na sequência de A Pílula / Os Provocadores ou enredos totalmente novos?
V: Enredos que se passam paralelamente aos dois e que se cruzam, mas assim como A Pílula e Os Provocadores são livros muito distintos os outros também são. Eu tento sempre escrever algo que fuja do lugar comum, então nenhum será minimamente parecido.

N: Muito que bem. E onde podemos te encontrar neste local maravilhoso chamado ´´internete´´?
V: Na página do meu livro A Pílula, CURTAM! Eu falo umas abobrinhas no meu Twitter @veneceos e no Instagram /veeneeceeoos. E também quero agradecer a oportunidade que a Cris e a Nanda juntamente com a editora Tribo das Letras me deram para que eu pudesse tornar esse sonho em realidade, e também a você por essa entrevista!

Imagina! A gente é que agradece! Anotaram a dica, gente? Pois anotem, que, ó: não é só porque é meu amigo nem porque o romance é gay, mas A Pílula é uma das melhores histórias que já li no Wattpad. Como bem disse o Vinicius ali, não é só uma narrativa de amor entre dois jovens apaixonados: é uma jornada existencial; uma busca pela própria identidade, pela re-construção do eu, pelos próprios percalços da vida. Longe de ser um romance idílico em que tudo se encaixa com perfeição e todos sempre são felizes para sempre, A Pílula traz uma narrativa com fatos que poderiam acontecer comigo, com você, com o seu vizinho, com qualquer um. E mais! nada daquelas famosas cenas de sexo explícito que estamos bem acostumados a ver hoje em dia, especialmente nas publicações independentes, que funcionam muito mais como justificativa pra atrair leitores curiosos do que como recurso necessário para o bom desenvolvimento da trama; Vinicius conquista pela manha, pela tensão, pela emoção, sem enrolação! Curtiu minha assonância, né? Eu também.

Então é isso, galera. Quem estiver de bobeira no Rio no dia da Bienal, vai lá dar um oi pro Vinicius e dizer que o conheceu primeiro aqui no Escolhendo Livros. E, se você quiser ler uma prévia do romance e também conferir Os Provocadores, basta acessar o perfil dele no Wattpad clicando aqui.

Até a próxima!
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: