Resenha: Poirot Investiga - Agatha Christie

By | terça-feira, setembro 01, 2015 Leave a Comment
Hercule Poirot mais prepotente, babaca e divertido que nunca

Essa vai ser uma resenha bem rapidinha. Esse livro não precisa de muito texto pra ser avaliado (falou o crítico literário, nobre bacharel).

Há alguns anos eu me fiz um desafio literário (justo eu que não leio quase nada) de ler TODOS os livros da Agatha Christie em que seu lindo e maravilhoso personagem Batm... Hercule Poirot aparece. Em ordem de lançamento. Pra não perder easter eggs :3

Aí, o leitor diz: "Mas como você é BURRO! Todo mundo sabe que tem dois livros antes desse aí e você vai começar por ele mesmo assim?". Então, caro leitor, tanto sei como já li esses dois livros (O Misterioso Caso de Styles e Assassinato no Campo de Golfe) e...... bem, não vou falar deles porque estou com preguiça.

Maaaas, vamos ao que interessa. Para quem morreu envenenado, enquanto pintava um quadro, antes do meio dia, Agatha Christie, a Rainha do Crime, como ficou conhecida, é a autora mais bem sucedida da história da literatura. Com mais de 4 bilhões de cópias vendidas de seus 80 e poucos livros, ela fica atrás apenas de Shakespeare e da Bíblia. O título que recebeu ainda em vida fazia jus a pessoa, afinal, não é todo dia que alguém forja a própria morte e convence todo mundo disso por mais de 10 dias.

"Mas e o livro, Nikos?" Bem, o livro tem um título muuuuuuito difícil de entender, como em quase todos os outros (risos). Tem o Poirot, e ele investiga. Tá, eu sei que ele faz isso em todos os livros dele, mas era pra não perder a piada (péssima).

Originalmente, o livro foi publicado em 1924, mas a edição que li é a traduzida de 1925. Por que isso é importante? Na primeira edição, britânica, 11 casos eram contados. Na segunda, 14. Sim, você leu certo, 14 casos. Diferente dos outros livros da Gathinha, esse não contava uma história só. São 14 casos sobre inveja e ganância onde Hercule Poirot e seu namorad........ leal amigo Hastings, um ex-oficial do exército, ajudam ricos com suas........ "riquices". Sim, basicamente as histórias são sobre ricos que querem ficar mais ricos e montam planos mirabolantes para roubar coisas valiosas que são desmantelados pelo detetive belga em menos de 20 páginas AHAHHAHAHAHAH. Mas é aí que mora o problema.

Enquanto em uma história da Agatha Christie normal Poirot tem quase 300 páginas para solucionar um mistério (apontando organicamente cada pista e dissecando cada suspeito para o leitor), nesse ele deve fazer isso numa média de 16 páginas. Corrido, né mes? E pra você que não acha que isso é um problema (e se surpreende por EU estar reclamando disso), leia o livro e nos mande uma mensagem dizendo o quanto você se achou burro no final de cada caso quando Poirot disser pra você tudo sobre o ele sem ter apresentando quase nada anteriormente para você avaliar e pensar sozinho.

Mas, apesar disso, Agatha Christie sempre é uma leitura gostosa. É fácil, rápida e tem um dos personagens mais divertidos e babacas do mundo investigando mortes e roubos de pedras raras com você. Não deixe de comprar o seu por cinco real no sebo mais perto de você.

O BOM:
  • Texto simples e fluído.
  • O melhor personagem de todos, todos, TODOS adivinhando a solução dos casos de uma maneira mágica e muito sacana.
O RUIM:
  • Pouca página pra muito caso, deixando-os mal desenvolvidos.


Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião nos comentários.







Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: