Resenha: Simon Vs A Agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli.

By | sexta-feira, abril 15, 2016 Leave a Comment
Simon se apaixona por um amigo online. Alguém da escola descobre. Tem como isso não dar errado?

A resenha de hoje tem um valor um tanto quanto especial para mim. Sabe por quê? Porque há um bom tempo atrás, quando eu ainda estava no começo da adolescência, eu procurava loucamente por um romance que me representasse como um jovem homossexual. E isso,  em meados dos anos 2000, era muito difícil de encontrar: A literatura teen era dominada quase que exclusivamente pelos romances heterossexuais.  Só agora temos Garoto Encontra Garoto, Dois Garotos se Beijando, Will & Will e toda essa leva de obras dedicadas aos jovens homossexuais em descoberta e pra mim... Isso é re-vi-go-ran-te, mindblowing, totalmente bem-vindo! Então por mais que seja um pouco tarde pra mim (quem eu estou tentando enganar? ainda leio chicklit teen!), espero que entendam o quanto pegar agora, com 24 anos, um Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens da autora Becky Albertalli
 para ler significa algo. O mundo está mudando, não é mesmo?

Como de praxe, vamos a sinopse básica: Simon Vs A Agenda Homo Sapiens conta a história de um adolescente de dezesseis anos chamado Simon (dã) que é gay (como já devem ter imaginado) e ainda não saiu do armário (essa é parte da "descoberta"). Mais do que isso, Simon tem uma paixonite secreta por um misterioso garoto que conheceu na internet, Blue, o qual nunca realmente viu no "mundo real". A única coisa que Simon sabe é que ele e Blue estudam na mesma escola, mas ainda assim, Simon sente que nunca realmente vai conseguir conhecer o seu enigmático crush. Porém, tudo se complica mais ainda quando Martin, um colega da escola, pega uma troca de emails de Simon e Blue e faz aquilo que virou a pior ameaça no séc.XXI: tira um print. Simon se vê no meio de uma berlinda: Ceder as ameaças do "amigo" ou se assumir de uma vez por todas?

A história de Simon flui com tanta facilidade que eu me peguei terminando o livro em dois dias. Por mais que isso possa ter acontecido pelo fato do livro realmente ter menos de 300 páginas, acredito que o que realmente me fez acabar de lê-lo com tanta rapidez foi a propriedade que a autora conseguiu passar ao criar um personagem legitimamente homossexual, sem maneirismos baratos ou estereótipos forçados. Não apenas Simon é um jovem gay doce, legal e carismático como também tem seus momentos de raiva que revelam o quanto nós não somos sempre o "melhor amigo gay" que está ali para ser o seu ombro amigo com um sorriso no rosto e uma piada pronta na ponta da língua. Nós temos nossas fraquezas. 

Falando em fraquezas, tenho que admitir que uma das fraquezas de Simon me atormentou durante toda a leitura. O relacionamento de Simon e Leah, sem querer entrar em detalhes para não cair nos spoilers, me deixou muito chateado. Para dois amigos de longa data, achei muito estranha a forma como Simon se portou com tanta frieza com ela durante boa parte do livro, independente do quanto a personagem da Leah também seja reservada. Dito isso, achei todos os outros personagens muito bem abordados, principalmente Martin, que para mim teve o melhor desenvolvimento da trama.

Quanto ao romance de Simon e Blue, serei sincero: não foi o que me conquistou mais no livro e nem senti que foi o foco. Gostei muito mais de ver o Simon lidando com a ameaça do print e tendo que revelar a sua sexualidade para seus amigos e familiares do que realmente sofrer pelo amor de Blue. Talvez isso se deva ao fato de que eu descobri quem era o Blue, tipo, no COMEÇO do livro. A obviedade do "plot twist" foi tão descarada para mim que acabou afetando a minha visão do casal negativamente e criei antipatia logo que foi revelado quem era realmente o Blue (também não ajudou muito o fato do personagem ser meio apagado).

No geral, devo dizer que Simon Vs A Agenda Homo Sapiens é um livro gostoso, simples, leve e doce que acalentará  os corações principalmente do público gay adolescente. Claro que acredito que qualquer pessoa, independente da sexualidade pode aproveitar dessa típica história sobre descobertas na juventude (até porque a base disso é universal), mas sei que esse livro foi feito com um carinho especial para o jovem LGBT. É aquele pedacinho de identidade que a gente sempre procurava nos livros e agora finalmente estamos conseguindo encontrar, pouco a pouco, nos mais diversificados produtos midiáticos. E que mais Simon Vs A Agenda Homo Sapiens cheguem para nós!



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: