Resenha: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares - Ransom Riggs

By | segunda-feira, junho 27, 2016 Leave a Comment
Uma visita inesquecível ao orfanato mais excêntrico que você poderia imaginar
Seja bem-vindo ao fantástico e atemporal Orfanato da Srta. Peregrine! Apenas aqui, você pode conhecer uma garota que solta bolas de fogo com as mãos, um menino tão invisível quanto uma super-heroína da Marvel e até uma jovem capaz de levitar até desaparecer entre as nuvens do céu! Em uma deliciosa mistura de terror e aventura infanto-juvenil, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares tem o espírito de um filme do Tim Burton dos anos 90 (sua melhor época, convenhamos), com direito a lugares sombrios, gente estranha e uma coleção real de fotografias antigas e bizarras que parecem terem sido feitas especialmente para a história. Dá para ser mais creepy?
A história nos apresenta Jacob, um rapaz de 16 anos que sempre sentiu que não pertencia a sua própria família. O único parente com quem tinha um bom relacionamento era Abe, seu avô, que lhe contava histórias de sua infância em um orfanato repleto de crianças peculiares. Apesar dele sempre lhe mostrar estranhas fotos desse passado misterioso, Jacob acreditava que eram apenas retratos forjados criados pela mente senil do avô. Anos depois, Jacob decide visitá-lo para tirar a história a limpo, mas acaba apenas encontrando o avô à beira da morte, atacado violentamente por um monstro aterrador. E é através das pistas deixadas pelo avô que Jacob desemboca em uma jornada fantástica para o País de Gales, onde descobre as ruínas do orfanato da Srta. Peregrine.
Curiosamente, o livro demora um pouco até chegar até ao orfanato, guardando suas primeiras 100 páginas para a apresentação de Jacob, sua família e todo o mistério das origens de seu avô. Por mais que essa decisão tenha deixado o inicio relativamente lento, acredito que o aprofundamento dado ao "mundo real" da vida de Jacob foi necessário, fazendo com que a chegada do personagem ao lugar principal da trama, o orfanato, se destacasse mais pra frente.
Mas é quando somos apresentados as crianças que o livro mostra o seu verdadeiro brilho. Seja a tempestuosa Emma e suas bolas de fogo, o fofíssimo e invisibilíssmo Millard ou o levemente assustador Enoch (me limitarei a dizer que sua habilidade envolve "invocação", para não dar muitos spoilers), percebemos o quanto a espera valeu a pena. O autor Ransom Riggs criou um esquadrão de personagens interessantes, divertidos e que aquecem o seu coraçãozinho pela estranha fofurice que cada um deles tem. 
Ao lado disso, o romance ainda tem a sacada genial de complementar a narrativa com fotografias antigas que, pelo que o autor explica no finalzinho do livro, foram coletadas de coleções pessoais, sebos e álbuns de colecionadores para servir de inspiração. Esse, sem sombra de dúvidas, é o fator mais assustador do livro, pois algumas fotos, pra quem é medroso como eu, são realmente desconcertantes.  
Apesar do livro conter um elenco mirim maravilhoso, deixo aqui o meu "meh" para a personagem que, para mim, deveria roubar a cena: A dona do orfanato e do título da obra, Srta. Peregrine. Sinceramente, senti que sua presença quase sempre era roubada pelos seus pupilos, tornando-se uma presença apagada e surpreendentemente secundária. Durante boa parte da trama, ela parece simplesmente sumir, dando uma sensação meio bizarra de que as crianças ficam sozinhas no orfanato e que nem precisam dela para nada. Espero que o segundo livro me surpreenda e me apresente mais sobre ela (principalmente diante da "situação peculiar" que lhe acontece no final do primeiro livro).
Problemas à parte, O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares consegue contar uma boa história de aventura infanto-juvenil com uma quantidade considerável de originalidade, surpresa e terror Lovecraftiano. Sim, o livro possui aquela atmosfera misteriosa inspirada em HP. Lovecraft, com monstros super bizarros e um tom levemente macabro de teoria da conspiração (será que realmente existe um orfanato assim?). Não me surpreendo nem um pouco com o grande sucesso da obra (para quem não sabe, ela foi eleita como uma das 100 obras mais importantes da literatura jovem) e, como era de se esperar, se tornará filme. E como se fosse o destino: o diretor é o Tim Burton. Lê logo o livro para que em janeiro de 2017, você esteja preparadíssimo!
 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: