Resenha: O Livro de Memórias - Lara Avery, por Trinta.

By | terça-feira, setembro 26, 2017 Leave a Comment
Descubra as lembranças de Sammie em uma romance melancólico e intimista 














Eu sei, eu sei, faz um tempinho que eu não dou as caras aqui no meu querido Escolhendo Livros. Podem jogar as pedras que eu tô merecendo, haha! Mas a questão é que minha vida andava uma bagunça, e por isso, tive que fazer um break de emergência aqui no site. De qualquer forma, mesmo diminuindo meu ritmo de leitura a um nível muito abaixo do meu normal, trago aqui essa resenha nova com uma sensação extremamente gratificante de comeback (ainda assim, meu paizinho do céu, que esse marasmo literário nunca mais se repita!). E mesmo tendo que compartimentalizar minha leitura de O Livro de Memórias em 5 minutos aqui e ali em dias escassos, posso dizer que cada segundo que passei ao lado de Sammie valeu a pena (ê, ê). Mas vamos ao que interessa.

O Livro de Memórias da autora Lara Avery relata as memórias de Samantha McCoy, uma jovem adolescente diagnosticada com NP-C - doença genética fatal que apresenta, dentre seus vários sintomas, a demência. Mesmo sabendo do caráter degenerativo de sua doença, Sammie decide não deixar isso abalar os seus planos: Nada a impedirá de se formar no ensino médio com louvor e sair de vez da cidade em que mora para fazer faculdade em Nova York. Como uma forma de manter o foco em seu objetivo e não deixar a doença levar o que há de importante dentro de si,  Sammie começa a escrever o seu Livro das Memórias, um diário pessoal aonde poderá guardar os seus desejos e reflexões na segurança das páginas de um caderno.

Com uma sinopse dessas, não é difícil imaginar que estamos falando de uma trama difícil de digerir facilmente. Por mais que o tema esteja longe de ser um dos mais originais no universo literário, a verdade é que histórias sobre pessoas com doenças fatais servem perfeitamente para nos fazer refletir sobre a propriedade efêmera da vida e, principalmente, nos colocar de frente com um dos medos mais clássicos do ser humano: a morte. Este medo é o tempo todo enfrentado pela personagem Sammie, que por mais que tente não se deixar render ao terrível fim que lhe aguarda, logo descobre que será difícil combater a degeneração de algo que tanto valoriza em si - sua própria memória.

Para Sammie, ter a sua memória corrompida aos poucos é especialmente doloroso uma vez que possui uma grande paixão pela oratória - um talento fortemente atrelado ao dom de memorizar dados e destrinchar ideias complexas. Membro do clube de debates do colégio junto de sua melhor amiga Maddie, Sammie teme que sua doença possa a impedir de participar da competição interescolar que tanto se preparou nos últimos meses. Para mim, é aqui que o livro mais consegue me emocionar - é aterrador ver Sammie perceber sua própria impotência diante da NP-C, sentir que não possui controle total sobre sua consciência.

Claro que o livro não se resume a só esse dilema interno de Sammie com sua doença. É também interessante ver o companheirismo da protagonista com sua família, o começo de uma paixonite aguda pelo misterioso Stuart e a volta de seu antigo amigo de infância Connor para a sua vida. Mas sinceramente, a alma da história está na força de Sammie em lidar com sua própria condição. O Livro das Memórias não é um livro para todo mundo - é uma história dramática, melancólica, do tipo que deixa um gosto amargo na boca. Para alguns, talvez até soe piegas, porque sejamos sinceros; estamos falando de um dramalhão daqueles. Porém para quem gosta de dramas adolescentes level hard e quer uma leitura nos moldes de A Culpa é das Estrelas, recomendo a livro acompanhado de uma caixa de lencinhos de papel reserva no bolso. 
Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: